Quantos tipos diferentes de shampoo você acha que existem? Mil, 100 mil, 1 milhão? A gente chega nas lojas e são tantos frasquinhos coloridos, não é?! E lendo os rótulos, então?! Shampoo para cabelos secos, oleosos, mistos, danificados, extra-secos, com química, proteção da cor, anti-queda, anti-caspa… parece mesmo que as opções são infinitas.

Mas a verdade é que todos estes shampoos são variações de apenas 5 tipos básicos, categorizados por suas funções: shampoos para cabelos oleosos, secos, shampoos infantis e para cuidados específicos.

Vejamos, então, cada classe em detalhes.

Os 5 Tipos Básicos de Shampoos

Shampoos para Cabelos Oleosos:

Também conhecidos como shampoo para dar volume, shampoo clarificante, shampoo de limpeza profunda ou shampoo para cabelos finos, tem por objetivo remover bem a oleosidade, sem deixar resíduos.

Para atingirem este objetivo, são os que possuem maiores níveis (concentração e/ou potência) de tensoativos/detergentes/surfactantes. Com isso, além de removerem eficientemente a sujidade, a oleosidade e os resíduos de produtos, costumam formar bastante espuma.

Como desvantagem, esta concentração mais elevada de tensoativos aumenta as chances de irritação ao couro cabeludo e pele em geral, além do ressecamento dos fios.

Shampoos para Cabelos Secos:

Também conhecidos como shampoo condicionante, hidratante, 2 em 1, fortificante, anti-frizz, nutritivo, shampoo para efeito liso ou shampoo de proteção de cor, têm por objetivo deixar nos cabelos um ou mais agentes emolientes/condicionantes (como um silicone ou um surfactante catiônico, tais como os poliquaternários) que deixam os fios macios.

É a maior classe de shampoos, e a que possui a maior variedade de composições e apelos. São todos bons para cabelos secos ou ressecados, especialmente se o fio foi tingido ou se será modelado com secador, prancha, e/ou modelador de cachos.

A desvantagem destes produtos é que, dependendo da composição e do hábito de quem os utiliza, eles podem, ao longo do tempo, ir pesando nos fios (especialmente se estes fios forem finos).

Shampoos Neutros:

Também conhecidos como shampoos para cabelos normais ou para todos os tipos de cabelo,  são o intermediário entre os shampoos de cabelos secos e oleosos. Desta forma, buscam um equilíbrio entre a detergência (que deve ser moderada) e o uso de agentes emolientes/condicionantes.

É bastante comum encontrar shampoos neutros que utilizem tensoativos mais suaves, como é o caso dos shampoos naturais e orgânicos.

Shampoos Infantis:

Também conhecidos como shampoo para bebês ou shampoo do tipo “chega de lágrimas”, têm por objetivo lavar os fios com delicadeza, causando o mínimo de irritação e não ardendo nos olhos.

Para tanto, suas fórmulas são compostas por detergentes mais fracos e com baixa formação de espuma. Como é de se imaginar, a desvantagem desta classe de shampoos é que eles não limpam tão bem, pois têm baixa detergência.

Para um bebê, isso não chega a ser um problema, já que seus fios são fininhos, em geral com baixa densidade, pouca oleosidade e a frequência de lavagem costuma ser alta, diária ou em dias alternados.

Já para um adulto, com outro padrão hormonal (e, por isso, maior tendência à oleosidade), uma menor frequência de lavagem, uso frequente de agentes condicionantes, ou uso de produtos para modelar os fios, o shampoo infantil pode não ser suficiente para remover a sujidade ou resíduo de outros produtos (exemplo clássico: silicones).

Shampoos para Cuidados Específicos:

São fórmulas que incluem ativos específicos para um fim desejado, podem ser anti-caspa, anticoceira ou anti-queda. Seu objetivo principal, portanto, é combater a caspa, coceira ou a queda por quebra.

O “shampoo-base” que forma estes produtos costuma ser de neutro a condicionante. A razão disso é o fato de que os ativos anti-caspa ou anti-coceira podem ressecar os fios e, para contrabalancear este efeito, as formulações costumam conter agentes emolientes ou hidratantes.

Já no caso do shampoo anti-queda por quebra, a fórmula costuma conter vitaminas, agentes estimuladores de crescimento e algumas vezes uma concentração baixa de algum agente anticaspa (comumente relacionada à queda de cabelo), numa base hidratante/ condicionante, cujos agentes irão ajudar na recuperação dos danos que estão levando à quebra dos fios.

É importante ressaltar que, de nenhuma forma, estou querendo dizer que todos os shampoos dentro de uma categoria são iguais. Entretanto, isso demonstra que existe um limite na diferenciação entre os produtos.

Os fabricantes de cosméticos buscam constantemente formas novas de falar de seus produtos para que eles pareçam inovadores, revolucionários e excitantes. E não há nada de errado com isso, pois nós mesmos temos este apelo de querer sempre algo novo.

Contato que as empresas não faltem com a verdade em relação à composição dos seus produtos e o que eles são capazes de fazer (promessa), tudo bem.

Mas é importante que você seja um consumidor bem informado e consiga ver além destas estratégias de marketing para tomar uma boa decisão: melhor pro seu cabelo, e pro seu bolso. Além disso, ninguém disse que você não possa intercalar o uso de produtos destas categorias, certo?!